Pular para o conteúdo

JUSTIFICATIVA

Os abrigos, de prefeituras, mistos e/ou ONGs são uma das estratégias que compõe um programa de manejo populacional de cães e gatos, recuperando os animais abandonados e reintroduzindo-os na sociedade por meio da adoção. Essas adoções nem sempre evoluem de forma positiva ocasionando em devoluções e ou novos abandonos dos cães oriundos dos abrigos. Muitos estudos científicos descrevem que um dos principais motivos da devolução de cães em abrigos, é devido ao seu comportamento “inadequado”, maus modos, portanto as pessoas preferem adotar cães mais amigáveis e socializados. Os cães precisam ser preparados para a adoção, no sentido de desenvolver um repertório considerado adequado para convivência com humanos e outros animais.

O abrigo em si é uma experiência estressante para os cães e a falta de interação com humanos é com certeza parte importante nisso. A interação humano-cão serve como enriquecimento para cães de abrigo e, junto com o treino comportamental, afetam positivamente a adoção, e essas interações fora das baias melhoram o comportamento desses animais, reduz o estresse e assim promovem bem-estar aos cães de abrigo. A interação humano-cão, essa proximidade humana, é uma medida de sociabilidade em cães e quando esse grau de sociabilidade é aumentado é considerado um indicador de adoções bem-sucessedidas.

Um outro problema típico nos abrigos é o latido excessivo, que ocorre sob o estresse do confinamento tirando o sossego desses animais abrigados, e que tambem acaba por afastar as pessoas do contato com esses cães. O barulho de latidos não é só prejudicial aos cães mas aos humanos também, e pode afetar a tomada de decisão na hora da adoção.

Não existe no Brasil nenhum curso, com comprovação científica, voltado para preparação etológica de cães de abrigo e seus colaboradores com protocolos de Interação Humano-cão (IHC) e Treinamento (TR) e protocolo de redução de latidos (PRL) como estratégias para aumentar a taxa de adoção e melhoria do bem-estar animal. Dessa forma, com esse curso, será possível dar subsídios para estudantes, gestores, funcionários e profissionais atuantes nos abrigos, para melhorar e modular o comportamento dos cães, aumentar a taxa de adoções e melhoria geral voltado para o bem-estar dos animais e dos colaboradores, bem-estar único.

PROGRAMAÇÃO DO CURSO

OBJETO DA PROPOSTA

Trata-se de curso um teórico-prático de capacitação em manejo etológico de cães em situação de abrigo para aumentar a probabilidade das adoções.

OBJETIVO DO CURSO

O objetivo do curso é capacitar gestores e colaboradores de abrigos públicos, abrigos mistos e privados (ONGs) sobre o manejo etológico dos cães para aumentar a taxa de adoção e promover o bem-estar desses animais.

METODOLOGIA

O Curso é elaborado em formato presencial com duração de cinco dias (carga horária de 30 horas), composto por 4 módulos, sendo 3 módulos teóricos, ministrado em meio período do dia (3 horas), e um módulo prático, ministrado em 4 dias e meio (27 horas). Todas as aulas serão ministradas no próprio abrigo*, pela manhã e a tarde, com intervalo para almoço. Após o curso, será feito acompanhamento em três etapas, de forma online ou presencial (a depender da disponibilidade e combinação com os alunos e palestrante). O acompanhamento será para verificar a aplicação dos protocolos aprendidos pelos participantes do curso, sendo a etapa 1 após 3 dias, a etapa 2 após 3 semanas e a etapa 3 após 3 meses.

*A localização da parte prática não é fixa, varia de acordo com o grupo/prefeitura/ong que contratou o curso. Geralmente é feito nas próprias instalações da ong/prefeitura que contratou o serviço, dessa maneira todo o transporte e hospedagem é por conta da palestrante (já previsto no orçamento enviado). Caso o interessado não seja servidor público ou não trabalhe diretamente em uma ong/abrigo, sugerimos ver se existe alguma delas do seu município que possam se interessar no curso.

MINISTRANTE

Lu Baldan é graduada em Ciências Biológicas e em Medicina Veterinária. Possui Docência em Bem-Estar Animal pela World Protection Animal (WAP). É Mestra em Ciências pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FFCLRP/USP) no Programa Psicobiologia no Laboratório de Etologia e Bioacústica (EBAC). Integra o grupo Antrozoousp, uma rede acadêmica internacional de pesquisa e divulgação científica na relação humano-animal. Atualmente é doutoranda pelo Programa de Pós-graduação de Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná (UFPR) com ênfase em Medicina Comportamental de Abrigos.
https://www.gov.br/capes/pt-br/assuntos/noticias/interacao-com-humanos-favorece-adocao-de-caes-de-abrigos

 

CONTRATAÇÃO DO CURSO

Para PREFEITURAS E OUTRAS INSTITUIÇÕES que queiram contratar o curso e saber sobre valores e maiores detalhes, solicitar via e-mail: contato@institutomvc.org.br