Pular para o conteúdo

MEDICINA DE ABRIGOS

A medicina de abrigos é uma área da medicina veterinária do coletivo que está em ascensão no Brasil, que tem como objetivo promover o manejo populacional de cães e gatos em áreas urbanas (MPCG), sustentável e ético, e promover a reabilitação e ressocialização dos animais abandonados para que sejam reintroduzidos na sociedade por meio da adoção responsável.

Abrigos são locais que reúnem animais em um espaço delimitado, seja para a proteção dos animais, seja para a proteção dos seres humanos e para a vigilância epidemiológica das doenças, e que podem ser classificados em públicos, privados e mistos.

Podemos dividir em duas grandes áreas: políticas externas, relacionadas com as estratégias para o MPCG existentes no território e que impactam diretamente o abrigo; políticas internas, demandadas para a promoção de bons níveis de bem-estar dos animais abrigados, diminuição do tempo de manutenção e adoções monitoradas.

Os abrigos devem funcionar como casas de passagem, aplicando os 4 Rs dos programas de MPCG: resgate seletivo, recuperação, ressocialização e reintrodução na sociedade. Esses objetivos serão alcançados se o abrigo tiver políticas internas rígidas, implementadas ao longo do tempo com o conhecimento do histórico das doenças, com estrutura física adequada, recursos humanos capacitados e investimento nas ações preventivas e na promoção da adoção.

Textos informativos relacionados à Medicina de Abrigos:

EnglishPortugueseSpanish